Uma Luz no fim do túnel.

Tags: Castlevania, nes, order of ecclesia

Por Clarice dos Santos

 

castlevanianes-11Como alguns já devem ter reparado, sou uma fã assídua de Castlevania: dos 24 títulos lançados nesses 22 anos, já joguei 20 deles, sendo 11 detonados – logo logo serão 12*RS*.

 

Lembram-se do primeiro Castlevania? Lançado para NES, posso afirmar que este é o Castlevania mais difícil que já joguei, seguido de Castlevania 2: Simon’s Quest, lançado dois anos depois para a mesma plataforma.

 

Forte neblina, o uivo dos lobos, seres misteriosos, zumbis famintos por carne humana e morcegos com sede de sangue: estes e mais outros elementos foram alguns dos motivos de esta criação da Konami sobreviver por 22 longos anos e conquistar uma legião de fãs ao redor do mundo.

 

Infelizmente nem tudo são rosas: além dos detalhes citados no parágrafo castlevania64anterior, um outro detalhe que contribuiu para o sucesso da série foi o estilo “plataforma”, uma das marcas registradas de Castlevania e para os fãs estava ótimo assim. O tempo vai passando, os consoles se aperfeiçoam e, obviamente, novos jogos devem ser lançados e adaptados para a nova tecnologia. Eis que surge, em 1999, Castlevania 64. Para muitos fãs da série uma grande decepção. Tive a coragem de detonar esse jogo, mas não conseguir por as mãos em Legacy of Darkness, lançado no mesmo ano e para N64 também. Quem iria imaginar que depois de Symphony of the Night – um dos maiores sucessos da série – poderiam ser feitos esses dois fiascos?

 

castlevania-loiDois anos depois, com os jogos de Game Boy Advance (GBA), a Konami volta a investir no 2D, mas em 2003 cedem ao 3D novamente com Lament of Innocence para PS2: não sei se muitos gostaram, mas na minha humilde opinião este foi o melhor Castlevania em 3D que já foi lançado, ao contrário de Curse of Darkness que saiu também para PS2 e não agradou todo mundo: ter que “criar” armas para derrotar determinados inimigos e passar em algumas fases não foi de muito agrado não, sem falar que era muito lento para jogar – você fazia um super-hyper-ultra machado, mas demorava uma década para levantá-lo, de que adianta?

 

Enfim, com o lançamento do Nintendo DS, a Konami lança mais dois jogos dawnpara o console: Dawn of Sorrow e Portrait of Ruin. O primeiro é a sequência de Aria of Sorrow, lançado para GBA, e conta com o uso da stylus para desenhar “selos” usados para derrotar os chefes e também para quebrar alguns blocos de gelo presentes em algumas fases. Tanto DoS quanto PoR são bons jogos, mas com o clima “anime” e sem alguns elementos góticos característicos da série quebraram um pouco o encanto deles.

 

shanoa-the-main-character-in-castlevania-order-of-ecclesiaUm outro detalhe que podemos notar ao longo dos anos é que a dificuldade da jogabilidade está mudando: o jogo está mais fácil. Para a felicidade geral da nação, isso não está presente em Order of Ecclesia(OoE), o último título lançado para Nintendo DS.Novamente o clima gótico prevalece e o jogo é extremamente difícil.

 

Estou quase detonando OoE e posso assegurar que muitas coisas que os jogadores reclamavam em fóruns que “O jogo está ANIME demais!” ou “Está muito colorido!” foram dispensadas.

 

Não sabemos muito sobre Shanoa: só que sabe manipular Glyphs – como as almas de Aria e Dawn of Sorrow – o que faz muito bem, e que é uma mulher forte e ausente de sentimentos. A jogabilidade é muito boa, a stylus só é usada para ir de um teletransporte ao outro no mapa e SÓ, mas até para isso ela é dispensável pois as setas do console também são usadas para tal finalidade.

Vou parar por aqui, senão escrevo alguns SPOILERS xD. O que tenho a dizer é que, apesar de alguns erros, a Konami consegue se superar e dar a volta por cima. Castlevania Order of Ecclesia está longe de ser uma decepção, ofuscando os antecessores da série para o DS, mas ainda não chega aos pés de Symphony of the Night.

 

Bom, vamos ver Castlevania Judgment. Este não boto fé, mas não nego que estou curiosa para ver.

Clarice dos Santos
Share on Tumblr
Feed do Post
25 Comentários em "Uma Luz no fim do túnel."
  1. 17/11/2008

    Cara amei o post! Nota 10. Praticamente uma biografia Castlevânica! rsrsrs… E mais outra coisa: PRECISO e vou TER OoE!!!!!

  2. Master Kim
    17/11/2008

    Clarice, ótimo post.
    eu tb sou um grande fã da série castevania, mas infelizmente não joguei os jogos do ps2 e DS (o DS comprarei em breve). Pra mim, o melhor de todos é o Symphony of the Night, mas outro que acho muito bom é o pouco conhecido Rondo of Blood!
    O 1°Castlevania do GBA, o Circle of Moon, tb era difícil principalmente o Drácula, lembra bem a dificuldade dos jogos antigos.

  3. 17/11/2008

    @Master: Rondo of Blood é outro que é magnífico!!!!!!!!!
    *_*

  4. 17/11/2008

    Tô jogando o OoE, apesar de estar no começo ainda, e realmente é bem mais difícil que os últimos. Mais difícil que o Symphony, até.
    Mas fala sério, tu não gostou do Aria of Sorrow? Pra mim é um dos melhores! Não só por introduzir o sisteminha de souls, mas por tudo. Mesmo que seja ‘menos sombrio’. Já o Dawn eu achei que foi fraquinho, tanto na história quanto nas implementações. Pioraram a jogabilidade do game com aquela história de usar soul pra fazer arma.
    E eu quero o remake do PSP! ;_;

  5. 17/11/2008

    Pow amo Area of Sorrow apesar de prefirir os Belmonts no comando. No entanto o Soma Cruz passa tb! Vamos ver agora uma mulher como protagonista!

  6. 17/11/2008

    Quando o assunto é Castlevania eu sou sempre do contra.

    Não sou chegado na série, não acho o Alucard fodástico e, vou confessar, o único jogo da série que eu terminei foi justamente Castlevania 64 por que infelismente foi o único jogo que veio junto com o console quando eu comprei, então eu não tive escolha.

    Mas não que eu odeie a série, respeito pacas! E você fez um ótimo post também. ^_^

  7. 17/11/2008

    A fotinho do Castlevania que abre o post me deu arrepios. Adoro mas confesso que sempre fui um péssimo jogador. Meu irmão era profissional nele, em Contra e outros jogos mais hardcore masoquistas.

    Por isso que depois de velho eu resolvi encara-los de novo. XD

  8. Master Kim
    17/11/2008

    Os Castlevanias do GBA são muito bons tbm, gostei muito dos 3, mas o 2° Harmony of Dissonance, foi muito copiado do CSOTN. O melhor foi o primeiro por ser mais desafiador.

  9. geraldofigueras
    18/11/2008

    Eu nunca joguei a série. Depois de algumas tentativas frustradas no GBA e DS, até que estou embalado no Order of Ecclesia. Mas confesso que ainda não peguei a alma do jogo como toda a turma ai de cima.

  10. Bruna Torres
    18/11/2008

    Cláááá,nao me faça inveja assimmmm!

    EU vou terminar o Dawn of Sorrow (sim, finalmente), daí vou jogar todos os outros até chegar no order of ecclesia

    Aíii, vc vai poder escutar eu te encher o saco hihihihihi!

    Muito bom o post, só poderia ter sido feito por uma verdadeira Girl of War!

    Eeeeeeeeeeee

  11. 18/11/2008

    putz, castlevania é um dos motivos que me fazem pensar em comprar um DS.
    eu vou comprar um lá pelo meio do ano que vem, assim espero :P

  12. 18/11/2008

    Eu sou ruim demais pra gostar da serie =/
    Mas amo os artworks dos jogos =3
    …e sempre quis jogar o jogo bizarro copia de smash bros com o simon belmont, bomberman, snake e optimus prime xD

    E em nota paralela … toda vez q eu vejo o Castlevania de luta eu lembro do HORROROSO jogo de luta do Final Fight …isso não é bom =/

  13. 18/11/2008

    Castlevania é uma série que merecia um post exclusivo mesmo. Não joguei os de nintendinho, mas já joguei o dracula X, de SNES, Symphony of the Night, Aria of Sorrow e o de 64, que não me agradou tambem. Atualmente estou jogando o Lament of Innocence, que acho que foi o menos ruim dos 3d lançados, o Harmony of Dissonance, que apesar de voltar ao uso do Vampire Killer, tem elementos dos outros, como ganho de habilidades durante a fase, subir de levels, entre outros. Poderiam migrar o Order of Ecclesia para o PSP, seria bom.
    Atire a primeira pedra quem não gosta da Musica Dracula’s Castle, do SOTN.

  14. 18/11/2008

    Talvez por eu não ser um fã ultra-hardcore da série Castlevania, eu tenha conseguido gostar da versão N64 (adorava jogar com a menina da magia, esqueci o nome dela… mas o jogo com ela era mais fácil).

    O primeiro Castlevania (de NES) eu tava jogando ontém mesmo no emulador de PSP! Muito bom, tremenda nostalgia.

    Parabéns pelo post!

    Off-topic: Eu gostei de Body Harvest (http://en.wikipedia.org/wiki/Body_Harvest) também, talvez isso explique o fato de eu gostar de Castlevania 64 enquanto a maioria fala mal…

  15. 18/11/2008

    O mais longe que já fui em um Castlevania foi a 3º fase do Dracula XX do SNES.
    Mas fico pensando: que tal um crossover entre Castlevania e Metroid?

  16. 18/11/2008

    @Bruno: Era a Carrie Fernandez… diz a lenda que uma descendente da Sypha Belnades…tudo a ver,hm?
    rsrs
    Zerei o Castlevania 64 com ela..rsrs

  17. 18/11/2008

    @Clarice: Isso mesmo! Carrie Fernandez. O tiro teleguiado dela era uma mão na roda. Zerei com o Reinhardt Schneider também, bem mais difícil.

    Essa lenda eu não sabia… interessante mesmo!

    Aliás, Dracula’s Curse é outro que eu tenho que jogar.

  18. 18/11/2008

    As versões de 64 na minha opinião tinha uns personagens no qual não me identifiquei, como a própria Carrie, o Schneider, o Cornell que era um lobisomem. Com o Richter, Alucard, Leon (o Belmont, não o S. Kennedy) e o Soma, o jogador se identificava melhor. Pelo menos comigo foi assim.

  19. 18/11/2008

    Eu não achai o Order of Ecclesia difícil… Fechei ele em umas 8 horas (não estou com ele aqui, então não tenho certeza). Tampouco achei o Curse of Darkness ruim. Poxa vida, a melhor parte dele era a quantidade de combos que você podia fazer! Sequência de socos, porrada com a guarda da espada, mandando o inimigo longe, era muito maneiro!

  20. felipe peres
    19/11/2008

    ola.
    estou tentando instalar o far cry 2 so que esta dando erro na hora do crack. fala que o arquivo win 32 nao é valido.
    meu windows é o vista e ja tentei no xp tbm.
    vc poderia me enviar o crack correto.
    Obrigado .

  21. 21/11/2008

    @Rebeca: ???

    E Castlevania Kid?

    • Ironfist
      11/11/2010

      Não era Kid Dracula =p?

  22. Arthur
    28/04/2009

    Cara, como você não gostou de Castlevânia pro 64? O jogo é excelente!
    O Legacy of Darkness então, é perfeito. Quem melhor para enfrentar Drácula que um lobisomem?
    Vlw! =D

  23. marcelo
    22/03/2010

    realmente , os 3ds acabam se tornando uma decepção, apesar que eu tô botando fé no lords of shadow do 360 e ps3, e concordo , o OoE é muuuuiito dificil, morri centenas de milhares de vezes a mais se comparado ao SoN.

  24. Hélio
    11/11/2010

    Eu nunca tive GBA, então deixei de curtir muitos games bons lançados pra ele. Mas graças à emulação no meu PSP, estou podendo jogar grandes clássicos deste console, e esta semana eu resolvi detonar o Castlevania: Aria of Sorrow, pois sempre fui com a cara do Soma Cruz. E estou adorando! Realmente, gráficos não são tudo: mesmo q jogos como God of War sejam unanimidade em matéria de diversão pra mim (e ainda tragam gráficos excelentes), não posso negar q estou adorando jogar mais um “Metroidvania”, pois o estilo do jogo é extremamente semelhante ao Symphony of the Night, o q está me garantindo horas e horas de diversão. E o melhor é q o ecrã largo e brilhante do PSP torna tudo muito mais imersivo. Fantástico!

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.