Troca de jogos em rede virtual

Tags: Astéria, Flávio Banyai, PlayStation 3, Red Dead Redemption, troca jogo, trocajogo, Wii, Xbox 360

Por Bruna Torres

Quem aqui nunca trocou um jogo com algum amigo para não precisar tirar do bolso notas de reais? Há ainda aqueles que trocam pelo Orkut, Facebook, e até no Twitter. Mas fora dessas redes sociais existe uma forma mais prática e fácil de encontrar o jogo que procura que dá pontos positivos ao mercado brasileiro de games: a rede virtual trocajogo. É um serviço baseado no conceito de web 2.0, fundamentado na interação de pessoas acerca de um tema específico, no caso a troca de jogos. Para funcionar, utiliza recursos oferecidos por outros serviços online, como Google Maps.

A ideia do trocajogo surgiu há um ano e meio, quando Flávio Banyai, diretor de inovação, já era sócio-proprietário de uma empresa especializada em desenvolvimento web chamada Astéria. Desde o início da existência dela, ele e outros integrantes sempre tiveram interesse em oferecer produtos que pudessem gerar receita recorrente. “Pelo fato de sempre termos trabalhado com projetos (e não produtos), sempre estivemos completamente sujeitos às oscilações do mercado – e no momento da idealização do trocajogo estávamos no auge da crise”, explica ele, também conhecido por “Tuco”.

Eles acreditaram que com um bom produto, ainda que gratuito, teriam boas chances de conquistar novas oportunidades, sejam elas a partir de serviços adicionais vinculados ao trocajogo, ou simplesmente servindo como uma vitrine para a conquista de novos clientes. E não é que deu certo? “Como usuário de PS3 e Wii e responsável pelos projetos inovadores na Astéria, percebi que havia uma ótima oportunidade para juntar esses dois mundos. Sentimos que seria fantástico poder ter um laboratório de experimentos tecnológicos, onde poderíamos testar e aplicar tudo o que quiséssemos, e ao mesmo tempo acompanhar a resposta da comunidade”, acrescenta.

O projeto levou cerca de seis meses para ser desenvolvido, à custa de muitas noites, finais de semana e feriados daqueles que o idealizaram. O trocajogo está no ar desde 6 de julho deste ano. Não deixem de participar do trocajogo. Para entenderem como surgiu, e como funciona, vejam abaixo a entrevista na íntegra com Flávio “Tuco” Banyai.

1 – A intenção de vocês sempre foi a mesma desde o início da criação do trocajogo ou ela foi modificada com o tempo?
Sim, desde o momento em que buscamos o domínio “trocajogo.com.br” e ele estava disponível, sabíamos que tínhamos uma pedra preciosa em nossas mãos, só precisávamos lapidá-la.

Em seguida ao registro do domínio, começamos a refletir sobre a essência de uma troca. A conclusão, apesar de trivial, quando transposta para um sistema, teve um resultado muito bacana. Os usuários teriam uma lista de ofertas e outra de desejos, e cada item teria um peso, ou como chamamos, um “nível de interesse”.

Ao cruzarmos as listas de ofertas e desejos de todos os usuários, considerando os pesos de cada item respectivamente, poderíamos direcionar as trocas potencialmente mais viáveis. Somando isso à geolocalização dos usuários, poderíamos viabilizar trocas entre pessoas de uma mesma localidade.

2 – Quantos participantes existem atualmente?
Estamos com aproximadamente 5000 usuários.

3 – Vocês recebem muitas visitas diárias? Quantas? E qual a média mensal?
Estamos com uma média de 3000 visitas diárias, mas como o site ainda está começando, acreditamos que esse número tem muito potencial para crescer!

4 – O número de participantes aumenta sempre?
Sim, principalmente considerando a divulgação espontânea motivada pelo grande interesse da comunidade de gamers, e alguns mecanismos virais que elaboramos, como a possibilidade de divulgação dos jogos de cada usuário através do Twitter.

5 – Vocês tem algum projeto ou ideia a longo prazo? Como começar a cobrar, por exemplo, pelo serviço.
Temos muitas idéias, aliás, muitas delas sugeridas pelos próprios participantes do trocajogo. Fazemos questão de analisar com bons olhos qualquer comentário que nos é enviado. Apesar da grande lista de implementações que temos, a cobrança pelo serviço definitivamente não é algo que consideramos.

Nós acreditamos muito no modelo gratuito, como o Twitter e Facebook, por exemplo. É muito provável que em algum momento tenhamos que passar a trabalhar com anunciantes, mas tentaremos postergar isso enquanto for possível.

Também é possível que sejam implementados recursos opcionais, como a intermediação de trocas mediante a cobrança de taxas, ou também recursos exclusivos dentro do site.

6 – Como é participar do trocajogo? É gratuito? O que o participante precisa ter, ser, enfim, para participar?
Para participar basta o visitante preencher um breve formulário, validar o seu e-mail e completar o cadastro. Como um dos principais recursos do sistema é a localização geográfica, também solicitamos o endereço dos usuários.

7 – Quais são as regras principais?
Não existem muitas regras, desde que os jogos sejam originais. Oferecemos meio simples e seguros que permitem aos usuários negociarem suas trocas antes de as concretizarem. Há também uma forma de qualificar os usuários, ou seja, teoricamente os mais bem avaliados acabam sendo os mais confiáveis.

8 – Vocês já tiveram algum problema com a comunidade?
Não tivemos problemas muito graves. Em geral são usuários questionando avaliações negativas, ou apreensivas com “trocas de longa distância” – normalmente usuários de cidades ou estados diferentes.

9 – Quantas pessoas administram o trocajogo?
Atualmente é uma pequena equipe interna da Astéria. Mas conforme a demanda for aumentando, inevitavelmente teremos que envolver mais pessoas, e isso talvez implique na exploração publicitária do site como forma de sustentar a nossa operação.

10 – Como as trocas são controladas?
Uma vez que os dois usuários dão início a uma troca, entendemos que os dois já combinaram os principais detalhes da troca, como o custo aproximado do frete (quando aplicável), e obviamente, o interesse mútuo na troca.

Nós não intermediamos as trocas, e por conta disso também estimulamos que as trocas sejam feitas pessoalmente, em locais públicos de grande movimento. Após as trocas, os usuários devem avaliar um ao outro, de forma que essa informação fique disponível para os demais usuários do site.

11 – Qual o jogo mais procurado para troca? E tem algum que é menos?
Nesse momento temos quase 800 pessoas interessadas no Red Dead Redemption, para Playstation 3. Como temos uma base com cerca de 2000 jogos cadastrados (entre todos os consoles disponíveis), infelizmente não controlamos os jogos menos procurados.

12 – Vocês trocam jogos de quais consoles? Pretendem ampliar para jogos mais nostálgicos, como de Super Nintendo?
Para essa fase inicial do projeto oferecemos trocas apenas dos consoles mais populares: PS3, XBOX 360 e Wii. Mas percebemos que há uma grande demanda por outros consoles, e em breve também suportaremos outras plataformas, em um modelo onde os usuários nos ajudarão a populá-la, de forma colaborativa.

13 – Qual o principal objetivo do trocajogo? Driblar os altos preços do mercado brasileiro ou tem algo a mais por trás?
Driblar os altos preços certamente é o principal objetivo. E como já comentei anteriormente, nós vemos o trocajogo como um laboratório, onde teremos a oportunidade de realizar testes, e aprender e evoluir a partir do feedback da comunidade.

14 – Explique como funciona o troca jogo? Funciona como o Mercado Livre, só que gratuito?
Sim, o Mercado Livre é uma ótima referência. Porém acreditamos, talvez até por certa inocência, que podemos oferecer um serviço útil e de qualidade, sem que os usuários tenham que colocar a mão no bolso. Isso funciona muito bem em sites como Twitter, Facebook, Orkut, …, e talvez uma das respostas que esse laboratório irá nos dar é como essas redes fazem para se manter.

Consideramos também a possibilidade de estabelecer um serviço de parceria com lojistas. Eles terão a oportunidade de oferecer os seus jogos, o site fará uma ordenação por preço, e no final, tanto nós quanto usuários e lojistas serão beneficiados.

15 – Quais liberdades o participante tem no trocajogo? Pode escrever em fóruns, criar algo, integrar com outras redes sociais?
Os usuários podem criar comunidades, postar em fóruns, enviar mensagens diretas para outros usuários, cadastrar suas listas de ofertas e interesses, fazer buscas com o auxílio de mapas, localizar oportunidades (a partir do cruzamento de interesses) e enviar propostas. Basicamente não há algo que um usuário possa fazer que algum outro não possa.

Bruna Torres
Share on Tumblr
Feed do Post
12 Comentários em "Troca de jogos em rede virtual"
  1. André
    21/09/2010

    Ja tinha ouvido falar mas acabei não procrando o site. Vou dar uma atenção maior agora que ja esta com bastante usuários.

    Mas acho a idéia interessante.

  2. PH!
    21/09/2010

    Puts, grande dica! Vou espiar já!

    Essa rede virtual, combinada com o projeto Jogojusto, trarão um enorme incentivo à compra de jogos originais. Fica a dica aos criadores.

  3. PH!
    21/09/2010

    Epa! Acabei de olhar! Faltaram jogos pra PC!!! ¬¬

    Q preconceito contra meu kerido PCzim :(

  4. jonas
    21/09/2010

    Uma grande e diferente ideia.

  5. 21/09/2010

    muito boa a entrevista, Towers! parabéns!

  6. Yan Paulo
    21/09/2010

    Grande projeto, e ótima entrevista!
    No momento, o único console que tenho da geraçã o atual é o PSP, que não faz parte do trocajogo.com D:
    Mas com certeza utilizarei esse site assim que precisar, ótima iniciativa deles!

  7. Yan Paulo
    21/09/2010

    AEEEEE, e o site é feito em ASP.NET.
    E eu, como um fã/programador .NET gostei mais ainda. Pontos extras pro site! xD

  8. Yan Paulo
    21/09/2010

    E… Pra finalizar… Quase nenhum usuário é de Fortaleza :/
    Mas vamos esperar o/

  9. Rafael Psyny
    21/09/2010

    Já troquei dois jogos de Wii esses dias =)
    Nenhum dos dois demorou mais de 2 semanas para aparecer alguem.
    Muito bom!

  10. 22/09/2010

    Estou cadastrado lá! Site excelente! Ideia sensacional! Já mandei até algumas sugestões e a galera do TrocaJogo respondeu meu e-mail e inclusive já implementou algumas das minhas sugestões.

    Recomendado ao extremo!

    []s,
    Bruno.

  11. 23/09/2010

    Já tinha ouvido falar do trocajogo (se não me engano, foi no Gizmodo).
    Uma ideia muito boa, e que torço para que siga em frente.

  12. Eduardo
    07/11/2010

    Excelente!!! Faltou apenas jogos para PC!!!

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.