Live and the city

Mulheres sempre reclamam de como é difícil achar o cara ideal por aí. É inevitável escutar comentários sobre este tópico no metrô, no ônibus, na mesa ao lado, na fila do cinema ou em qualquer outro lugar, geralmente a frase usada é a mais clichê “Como em uma cidade do tamanho de São Paulo eu não consigo achar alguém?”, pois é, agora o que eu me pergunto é “Como em um universo do tamanho da Xbox Live eu não consigo achar alguém?”.

Eu admito que para uma gamer os critérios de escolha para o “cara ideal” são mais específicos, mas não deveria ser tão difícil assim achar alguém que prefira passar os Domingos jogando Call Of Duty 4 do que ver a nova comédia romântica da Kate Hudson com o Matthew McConaughey (qualquer uma das seis que eles estrelam por ano). Alguém que tenha como primeiro encontro ideal ver a pré-estréia do lançamento da Marvel no cinema, ou ir à Fest Comix, que se mantenha em forma porque jogar Wii cansa, e que tenha uma banda de rock animal, no Rock Band.

Falando nisso, todo mundo sabe que músicos possuem um charme natural, e quase todas as garotas se derretem quando o cara pega um violão e começa a tocar os três únicos acordes que ele sabe de todas as músicas do Jack Johnson, John Mayer e cantores do gênero. Também tenho um fraco por “músicos”, seja Guitar Hero ou Rock Band, quando vejo um expert, fico entusiasmada. Mas é sempre a mesma história, a gente termina a música, aparece no canto superior direito da tela “dragonmaster76 has sent you a message” e lá vou eu abrir esperançosa a mensagem e me deparo com “I have to go now, school day tomorow.” Tudo bem, eu deveria ter esperado por essa de novo, mas os brasileiros não ficam atrás, são sempre aquelas conversas em que você sabe que o “tato_timao” tem quinze anos, ou o “the_best_brazil” fala tão estranhamente que só pode estar usando um daqueles aparelhos de capacete.

Onde estão os nerds que fogem do estereotipo? Ainda vou conhecer um cara porque acabei escutando acidentalmente ele falar que o Playstation 3 é melhor do que o Xbox 360 e iniciaremos um debate na mesa do bar, e depois de tantas horas de conversa ao invés de pedir meu telefone, irá pedir minha Gamertag. E no dia dos namorados, quando minhas amigas me mostrarem as jóias, flores, chocolates e bichinhos de pelúcia que elas ganharam, eu vou falar “meu namorado me deu 4000 gamerpoints no Marketplace, esse é pra casar.”

Enquanto meu Master Chief não aparece, eu continuo fazendo ótimas amizades em comunidades, na Live, fóruns e ocasionalmente em barzinhos quando aparece um ou outro que vem conversar sobre Winning Eleven, enfim, a vida de qualquer solteira, não é?

Carla Rodrigues
Share on Tumblr
Feed do Post

Comentário Fechados.