Left 4 Dead 2 é proibido na Austrália

Tags: Left 4 Dead, left 4 dead 2

Por Clarice dos Santos

left-4-dead-2-01

Por mais que gostemos de sangue, tripas e pedaços de cérebro para todos os lados nos games, em alguns países isso é um problema SÉRIO.

Depois de serem contemplados com a venda de Left 4 Dead, os fãs australianos não poderão desfrutar de sua seqüência, Left 4 Dead 2. O motivo? A ACB (Australian Classifications Board) se recusa a classificar o game por ter muita “violência contra seres humanos”. Ou seja, sem classificação, sem Left 4 Dead 2 nas prateleiras australianas.

Só pra lembrar, o primeiro Left 4 Dead tinha classificação  MA 15+, ou seja, maiores de 15 anos poderiam jogar o game. Agora, me respondam uma coisa: esse pessoal que faz as classificações dos games não dão uma “testada” antes? Liberaram o primeiro, mas o segundo game não? Agora os fãs vão ficar chupando o dedo? Sacanagem…

Clarice dos Santos
Share on Tumblr
Feed do Post
44 Comentários em "Left 4 Dead 2 é proibido na Austrália"
  1. Popi
    17/09/2009

    E nós achando que só aqui que os jogos eram proibidos com desculpas esfarrapadas XD

  2. Popi
    17/09/2009

    Se não estou enganado eles também proibiram o Manhunt de ser vendido lá….

  3. 17/09/2009

    Autralians are not left 4 dead.

  4. Master Kim
    17/09/2009

    O Governo australiano implica muito com games! Bom, azar o deles!

  5. Heishiro Mitsurugi
    17/09/2009

    E depois eu ainda reclamo do Brasil em termos de games. Não vou contar tanta vantagem não porque, senão aparece outro Juiz ridículo e coloca a culpa de sua incopetência no jogos.

    Não sei quanto é o valor da classificação lá, mas se for parecida com a nos EUA que cobram U$ 10.000 para valiar um jogo, a ACB vai perder muito dinheiro, ou então eles já estão nadando em dinheiro e realmente não precisam disso.

  6. 17/09/2009

    A Austrália é bastante retrógrada em relação a jogos, digna de ladear China e Venezuela. Chegaram a proibir até Second Life por lá…

    Mas a questão da censura/classificação etária é praticamente global. No Brasil isso também vale, o Ministério da Justiça analisa todos os games lançados oficialmente por aqui, e disponibiliza listas anuais contendo a classificação etária dos títulos. Escrevi um texto sobre esse tema no começo do ano.

    Ah, e Left 4 Dead original tem censura M (17+). Pelo menos é o que consta no site oficial. No Brasil, L4D é 18+, o que significa que só pode ser jogado por maiores de idade, independente da anuência dos pais do infante que, porventura, deseja jogar o game.

    []’s!

    • 17/09/2009

      Então, na minha fonte(IGN) constava que lá na Austrália era MA 15+…vai entender??rsrsrs
      Mais tarde – qdo estiver em casa – eu arrumo ;)

      • 17/09/2009

        Opa, acho que dei mancada, Clarice. A censura M (17+) é a dos EUA. Sorry pela pequena confusão :-| .

        []’s!

  7. 17/09/2009

    uma babaquice!!!! o jogo nao tem nada demais para ser proibido… nem dá medo!

    e olha que eu tenho medo de jogos de terror!!!

  8. 17/09/2009

    Porque diabos a Austrália sempre tem problemas com jogos violentos e censura? Eles chegam a tirar pedaços de jogos pra entrar no país?

  9. Popi
    17/09/2009

    Pq eles só estão acostumados com bichos calmos, como os Coalas, Cangurus, Dingos… XD

  10. aureliox
    17/09/2009

    Como eu não gostei de Left 4 Dead mesmo, podem censurar à vontade :D

    Mas que o 2 deve ser mais violento que o 1, isso deve.

  11. Ally
    17/09/2009

    LOL!

    Que coisa mais ridícula! O primeiro game é liberado pra 15+ e o segundo proibido?! Sendo que os dois tem violência na mesma proporção! (Bom eu só joguei L4D 1, mas não acho que tenha tanta diferença no 2)
    E se eles acham que o L4D2 é violento demais, podiam botar 17+ ou 18+. Mas deixar o primeiro e proibir o segundo é sacanagem ¬¬”

  12. 17/09/2009

    Eu acho muita sacanagem com os fãs, mas se o órgão regulador decidiu assim ele não podem fazer nada.
    Sem falar que nessas horas, os australianos incorporam o “jeitinho brasileiro”, e pirateiam o jogo, já que não existirá uma forma legal de compra do jogo no país.

    • 17/09/2009

      E outra, se eles acham que o game é violento demais, é só inventarem/colocarem a classificação “Super Mature +21”.

  13. 17/09/2009

    o problema disso tudo é ter um bando de imbecis decidindo por mim se devo ou nao ter a OPÇÃO de comprar aquele produto.
    dêem a classificação, avisem que é para maiores e pronto. papis e mamis, nao comprem isso para seus filhotinhos.
    mas nao, eu q sou um gamer DE MAIOR, tenho que aguentar essa ¬¬’

  14. 17/09/2009

    Novidade a Autralia proibir um game.

    • Popi
      17/09/2009

      Não é tão novidade não. Eles já proibiram Shellshock 2, Dark Sector, ManHunt 2 (naum tenho ctz), Risen e Fallout 3 (q depois foi “desbanido”).
      E segundo o australiano q trabalha comigo, eles gostam de proibidar jogos e filmes.. XD

  15. 17/09/2009

    o problema disso tudo é ter um bando de imbecis decidindo por mim se devo ou nao ter a OPÇÃO de comprar aquele produto.
    dêem a classificação, avisem que é para maiores e pronto. papis e mamis, nao comprem isso para seus filhotinhos.[2]

    • Popi
      17/09/2009

      Concordo com vc. Acho q deve haver um orgão de classificação, para dar uma ideia aos pais e jogadores o conteudo do jogo, mas chegar a proibir algo tira o poder de decisão dos pais e jogadores e passa ao estado ou a outra entidade.

  16. Cristiano
    17/09/2009

    coitados dos australianos

  17. 17/09/2009

    Esses australianos são unas putinhas.
    Concordo com o Thiago.

  18. Rafaelx1bm2
    17/09/2009

    e ae galera!!!!

    … mudando de assunto:

    … o problema disso tudo é ter um bando de imbecis decidindo por mim se devo ou nao ter a OPÇÃO de comprar aquele produto.
    dêem a classificação, avisem que é para maiores e pronto. papis e mamis, nao comprem isso para seus filhotinhos.[3]

  19. Lucas Uede
    17/09/2009

    o problema disso tudo é ter um bando de imbecis… decidindo por mim se devo ou nao ter a OPÇÃO de comprar aquele produto.
    dêem a classificação, avisem que é para maiores e pronto. papis e mamis, nao comprem isso para seus filhotinhos.[4]

  20. Ruston
    18/09/2009

    Para mim, liberdade de expressão e de pensamento são direitos absolutos. Só que nenhum governo no mundo pensa desse jeito, e isso faz com que eles acabem relativizando essas duas liberdades as quais me referi. É daí vêm esses órgãos reguladores, que voltam e meia aplicam uma censura no povo.

    Thyago disse exatamente o que penso a respeito disso. Como é que esses burocratas do governo, que SEQUER SABEM QUE EU EXISTO, podem decidir o que é melhor para mim ?

    Pessoalmente, acho perigoso dar esse tipo de poder ao estado. Hoje eles censuram um jogo. Amanhã eles censurarão filmes. Logo após isso, estarão censurando livros também. Finalmente, eles estarão querendo censurar o que as pessoas estão falando e/ou pensando.

    A OFLC (Office of Film and Literature Classification – Órgão australiano que censura jogos, filmes, etc…), por sinal, trata de material censurado de maneira draconiana. A multa por vender produtos “banidos” pode chegar a mais de 200 mil dólares. Além disso, a própria posse desse material “banido” (ou “recusado”, como eles dizem por lá) é ilegal, ou seja: a polícia Australiana tem, tecnicamente, o direito de apreender quaisquer cópias de Left 4 Dead 2 onde quer que elas estejam. O que isso significa ? Simples: se a polícia consegue um mandado para entrar na casa de fulano, eles têm todo o direito de confiscar quaisquer cópias de L4D2 que eles encontrem por lá.

    Calma, não estou querendo dizer que a Austrália está caminhando para se tornar um estado totalitário. Longe disso, a Austrália, é, tecnicamente, uma das nações mais livres do mundo, em termos econômicos e sociais. Porém, com essa atitude, o governo Australiano pisou feio na bola, e, de certo modo, não está agindo de maneira diferente do Partido Comunista Chinês (tô aproveitando para usar a China como exemplo, já que ea foi citada por aqui), que governa a China com mão de ferro.

    Outra nação que gosta muito de censurar jogos (ou parte do conteúdo dos mesmos) é a Alemanha. Um exemplo é ver a maneira como a USK (órgão alemão responsável por “classificar” os jogos) censura jogos. Na Alemanha, todo jogo comercializado por lá é PROIBIDO de mostrar a suástica nazista. Os mais afetados por isso são os jogos ambientados na segunda guerra mundial, onde a suástica é geralmente substituída por algum outro símbolo de conotação “nazista” (como a cruz de ferro ou a Parteiadler). Além disso, eles são bem rigorosos quando o assunto é violência em jogos. Certos títulos, como Gears of War, Dead Rising e Ninja Gaiden 2 não são vendidos oficialmente por lá.

    Claro, não podemos nos esquecer do Brasil. Apesar de nas últimas duas décadas nosso país ter sido governado por gente que lutou contra uma ditadura, esse mesmo pessoal não hesitou em se utilizar da censura diversas vezes. GTA e Counterstrike que o digam.

    O máximo que esse tipo de medida faz é criar um mercado negro em torno do produto que é proibido (considerando que há demanda por ele). com L4D2, vai ser exatamente assim. O jogo vai chegar na Austrália, seja através da pirataria e/ou de contrabandistas.

    • Popi
      18/09/2009

      Concordo em número, genero e grau! XD
      Entidades regulatorias como estas carecem de pessoal qualificado para classificar jogos, filmes e afins. Muitas vezes nenhum deles tem experiencia ou msm conhecimento sobre o q estão avaliando!

  21. Erick Lessa
    18/09/2009

    eu gostei muito do video :P
    total porrada em todos :P
    uhashuasuhasuhasuhashuas

  22. 18/09/2009

    Acho interessante que estes órgãos estejam atentos ao conteúdo de determinados jogos. Se não fosse assim, creio que teríamos no mercado games com os temas mais absurdos que se possam imaginar e com todo o tipo de violência residente nos mais ardilosos pesadelos. Nunca imaginei que o propósito do game um dia proporcionaria a o gamer tornar-se um maldito estuprador como ocorre em RapeLay, e o pior de tudo são as coisas que o personagem tem que fazer pra se livrar das atrocidades que ele causa no game. Existe outro em que vence quem matar a vitima com maior criatividade e requintes de crueldade, não lembro o nome deste. Antigamente os jogos tinham o propósito de divertir, mas hoje em dia isso é se divertir? Assumir-se como alguém flexível e complacente a toda essa temática absurda que assola os jogos atualmente significa aceitar a normalidade dela na realidade? E as crianças com as facilidades da tecnologia hoje em dia, quem poderá evitar que elas tenham acesso a este material? Não me venham dizer que cabe aos pais e adultos protegê-las disso porque hoje em dia ninguém está protegido do que oferece a mídia, a não ser que você se acorrente numa caverna e se isole do mundo. Não sou nenhum religioso exaltado e nem nada do tipo, adoro jogar vídeo-game e minha infância e adolescência foram divertidas deveras por causa do Mega-Drive, Nintendo , Playstation e derivados, no entanto abomino a forma com qual a violência vem sendo disseminadas nos jogos, e quando coloco meus alunos de informática para jogar GTA e vejo que eles se divertem mais espancados civis e policiais pelas ruas sem se preocupar com as missões do jogo vejo o quanto o anti-heroismo e a aceitação do que errado é comum a grande parte das mentes, aliás não tem novidade nenhuma nisso.

    • Popi
      18/09/2009

      Vc tocou num ponto q eu naum havia pensado. Se pudermos chamar estas atrocidades de jogos, estes sim deveriam ser proibidos. Em relação aos outros q anda banalizam ou msm focando na violencia, acho q estes orgãos deviam incentivar uma melhora na concientização da população. A aceitação do errado vem da sua base, do q vc cresceu acreditando.
      A uma frase muito boa para isso: “Se a unica ferramenta que você conhece é um martelo, todos seus problemas você ira resolver na martelada”.

    • Ally
      18/09/2009

      Concordo com a Rebeca. Se fosse pra proibir, tinha que proibir tudo. Coisas indecentes e mau exemplos estão em todos os lugares. Está nos games, nos filmes e até na TV aberta.

      Mas peraí Saulo, você condena a violência nos jogos e fala que “antigamente os jogos tinham o propósito de divertir, mas hoje em dia isso é se divertir?”
      Então, o que você diz do Street Fighter que foi uma grande “febre” e nos divertia muito antigamente?

      E realmente evitar é uma tarefa difícil com a internet e o seu conteúdo livre e ilimitado dos mais diversos fins. Mas sim, é dever dos pais e eles podem sim ajudar a protegê-las desse conteúdo. Primeiro conferindo as classificações dos jogos antes de comprá-los (e de filmes também). E também usando programas de bloqueio de conteúdo impróprio no computador para evitar de as crianças verem o que não devem. Além de ter acesso e monitorar o que elas fazem.
      Mas o principal é o que a Rebs falou: uma boa educação evita toda essa preocupação.

      E há jogos de temas que nunca deveriam ser abordados em games, como esse “RapeLay” que você citou. Mas eles são poucos.
      Quanto aos violentos eu acho que sim, as pessoas devem ter o direito de poder adquirí-los. Não acho que os games sejam desculpa pra meia dúzia de doentes mentais que saem por aí fazendo loucuras porque viram no jogo (como teve um post aqui no GoW) e por causa disso deve ser proibido. Pra pessoas com problemas existem os psicólogos e psiquiatras.
      Agora não acho correto privar as pessoas de se divertirem com a sua “chasina virtual”, mesmo que isso seja politcamente incorreto, mas cada um tem suas preferências sobre o que acha divertido. E enquanto essa diversão não estiver incomodando nem fazendo mal a ninguém, não vejo o porque de proibí-la.

  23. 18/09/2009

    Acho que os australianos tbm nunca assistam madruga dos mortos, a volta dos mortos vivos (caraca filme antiga pra burro XD), etc. L4D tava tao entusiasmado que quando fui jogar, decepcionei-me. Desbalanceado o jogo, zumbis que vieram da do treinamento do Bolt e que sistema é esse de mais munição mais zumbi e vice-versa? Tem que ser mais zumbi mesmo. O legal é ver os mlq de olho na tela sem piscar e aparece uma horda de zumbis na frente dele e o mlq arrregalar os olhos e nao tirar o dedo do gatilho LOL
    Tomará que L4D 2 acabe com os desbalanceamentos :D

  24. Fabão Estácio
    18/09/2009

    concordo com saulo em alguns aspectos, hj os video-games fazem parte do cotidiano de muita gente, e por mais q a gente não admita, os jogos tem grande influência na formação de nossas personalidades, isso ainda é mais verdadeiro qnd se trata das crianças. acredito q as classificações tem um papel muito importante para orientar os pais a respeito de um jogo ou filme, porém, somente isso não é o suficiente, ha muito desinteresse por parte dos pais em entender o universo em q seu filho está. dificilmente vc vai ver um pai ou uma mãe se interessando em saber o qq seu filho está jogando ou assistindo.

  25. 19/09/2009

    Eu não quis ser literal.

    Sobre o comentário da Rebeca, eu também assisti a novela =) e concordo plenamente que e a pancadaria sobre a highlander Ivone ( a mulher ganhava chutes na costela, golpe de Dragon Ball nas costas e no fim ficava com uns ‘hematominhas’ toscos e seqüela nenhuma) foi desnecessário e quando Inês executou aquele terceiro combo nela na delegacia vi que os caras extrapolaram um pouco. Vendo aquilo qualquer moleque poderia achar que a novela transmite a mensagem de que o legal é resolver todos os problemas no braço.

    Mas eu não queria passar essa idéia (a de que tudo deve ser censurado), afinal voltaríamos à época do regime ditatorial. Quando citei os dois abomináveis games no meu comentário pensei que conseguiria ser mais claro sobre a importância dessa filtragem feita para evitar que tal produto caia no mercado (o que raramente acontece, porque é justamente a censura que impulsiona seu sucesso) e a qual games eu me referia. E o que me preocupa é o fato da criança ter acesso a este material, ainda que os pais a proteja deles, enquanto acredito no que você disse:

    “Mas uma educação de diálogos constantes, de estar presente na vida do filho ensinando valores e dando bons exemplos”

    Enquanto fabão também nos traz uma realidade:

    “ha muito desinteresse por parte dos pais em entender o universo em q seu filho está. dificilmente vc vai ver um pai ou uma mãe se interessando em saber o qq seu filho está jogando ou assistindo”.

    E talvez a frase do Popi conclua:

    “A aceitação do errado vem da sua base, do q vc cresceu acreditando.”

    E Ally, você quer comparar Street Fighter com jogos aqui citados, inclusive os de terror? Porque este não foi o meu propósito! A violência conferida a SF não é ao grau do que temos hoje nos games referidos. E isso é bastante obvio.

    Censura é um assunto muito delicado, e até exitei um pouco em postar o comentário anterior sabendo que este soaria com essa idéia. Ainda mais vendo todos discordando da proibição, mas só queria tocar num ponto que ninguém havia comentado, de que às vezes longe de pretensões, este olhar sobre tal conteúdo também tem seu lado positivo, e é um fato que nossos interesses de gamer não nos deixa enxergar.

    • Ally
      20/09/2009

      @Saulo
      Sim, isso é óbvio. Foi mal, é que você apareceu aqui “do nada” e parecendo um “ditador-religioso-conservador-defensor-dos-bons-costumes” que fez com que eu tivesse uma interpretação errônea quanto ao real sentido do seu comentário.

      Mas agora que você foi mais claro sobre a sua opinião, acho que posso dizer sem sombras de dúvidas que concordo plenamente com seu ponto de vista. Realmente há certos games como aquele que você citou (se é que podemos chamar essas atrocidades de “games”) que deveriam ser proibidos mesmo.

      E o pior é que mesmo proibindo, o jogo vai continuar por aí, sendo uma peça rara das prateleiras dos camelôs, com links escondidos na internet, e muito cobiçado por psicóticos e pervertidos. Claro que isso diminui em grande escala o acesso a ele, mas coisas desse tipo deveriam ser evitadas a tempo, antes de serem concluídas. É realmente uma pena que elas existam.

      E como a Rebeca falou, foi muito bom você ter comentado pra começar essa discusssão.

      @Rebs
      Alias, você novamente levantou uma questão importante. Isso realmente acontece muito, infelizmente.
      PS: Uma hora você tem que entrar no MSN pra bater um papo lá no group do GoW.

      • Yuri
        22/09/2009

        Querendo ou não “AS VEZES” os gráficos dos jogos influênciam as pessoas, foi isso que o saulo quis dizer sobre jogos antigos que nos divertiam… no caso se não me engano acho que é doom o jogo que o cara pego uma metralhadora e saiu fuzilando todo mundo no cinema e os gráficos nao eram la grande coisa. Nem é por isso que alguem vai querer fazer igual nos jogosum exemplo proibido aqui foi Carmageddom se o intuito é evitar que alguem sai atropelando pessoas e (vacas) então por que tem tantas vítimas de atropelamento pelo mundo? e Counter-Strike baniram pois ensinava taticas de combate dizem kkkkkkkk se bota-se 2 ETs de cada lado do time não ia ser proibido, mas como são policiais e terroristas a mentalidade deles são outras.
        NOTA: Fiquei sabendo uns tempos atras que um bandido fugiu de uma prisão de segurança máxima andando com uma caixa de papelão e se misturando com outras num caminhão saltando fora do veículo mais tarde. (metal gear) esse jogo não é violento mas se eles tem o argumento de falar que CS ensina táticas de combate esse caraque imitou metal gear então…

  26. 20/09/2009

    Ally
    Você está certa!

    Achei o blog por acaso enquanto procurava informações sobre Devil May Cry 2, e lá postei o meu primeiro comentário:

    http://girlsofwar.wordpress.com/2009/03/11/devil-may-cry/#comment-23445

    Esse daqui foi o segundo e confesso ter assumido uma postura talvez arrogante pra quem entrou no ônibus agora, mas não foi minha intenção (de novo não foi minha intenção?)! Nos fim das contas estou aqui para poder participar com comentários e quem sabe até fazer amigos com esse divertimento em comum, a boa e velha vida de gamemaníaco!

    Foi um prazer delinear estes comentários com vocês!! Até o Próximo!

    • Ally
      20/09/2009

      Obrigado pela correção, Bebs.

      @Saulo
      “Certa”? Que que foi rapá? Ta me estranhando? ¬¬”

      E po, tem alguma coisa errada com meu avatar? Eu tentei fazer tipo um metaleiro dumau, mas acho que ele não ta dando essa impressão….tão até me confundindo com mulher, bah…-.-”

      (PS: Ta bom, eu sei que tu falou isso porque pensou que só porque o blog é escrito por mulheres todo mundo aqui é mulher. Mas poxa, isso não é um banheiro feminino!)
      E aproveitando o momento, gostaria que vocês me respondessem uma pergunta clássica:
      “O que as mulheres fazem no banheiro pra demorar tanto e por que sempre levam as amigas junto?”
      Eu sempre quis saber isso! xD

  27. 21/09/2009

    Nossa! Mil desculpas, cara!!

    É que meu Explorer está desatualizado e as imagens aparecem ora sim, ora não, mas na verdade este nome também confunde moço! Claro que pensei em Muhammad Ali-Haj, mas acho que não era bem assim. Eu fiquei uns cinco minutos (deveria ter ficado mais) perguntando-me se era A Ally ou O Ally!!

  28. 21/09/2009

    Ah! Quanto a pergunta tenho uma sugestão:

    Elas levam um PSP, ou DS ou Gameboy disfarçados daqueles estojos para maquiagem, e apostam um bocado de Gills em disputas nos jogos!! Isso é mais comum em festas chatas, ou quando elas estão sendo seguidas por algum cara grudento!!

    =)

    • Ally
      21/09/2009

      @Saulo
      Primeiramente só uma dica:
      http://www.baixaki.com.br/download/mozilla-firefox.htm
      IE sucks! Baixe o Firefox e seja feliz! =)

      Tudo bem, isso também aconteceu quando eu postei da primeira vez aqui, quando meu avatar ainda era um ET caolho ¬¬”
      Eu odeio esse meu nome: Alysson. Fui mais uma vítima da mania de brasileiro de querer botar nome “diferente” no filho. Quando eu tiver os meus eles terão nomes normais!
      Mas enfim…fazer o que né?

      Mas num caso como esse, acho que seria melhor escrever “certo”, porque afinal, todos somos nozes seres humanos!

      Hã…pensando melhor…não!
      Afinal a Bebs é a Andróide Matrix, a Clá é vampirinha, a “Mãe” Vivi é Deusa-Mestra-Highlander-Psycho (a única mulher que, além da própria mãe de Chuck Norris, conseguiu chutar a bunda dele e dizer “Vá trabalhar e pare de bater em todo mundo” e fez ele dizer “Ok.”) e a Bruninha…prefiro não comentar :P

      E foi uma boa teoria heim?! Mas ainda espero por uma resposta das gurias aí, pra ter certeza. Se não é melhor nós desistirmos cara, nunca desvendaremos esse mistério! Não sem uma boa prova! Hahaha!

      PS: Ah, Carlinha, antes que tu venha me dar uma “guitarrada” na cabeça por eu ter esquecido de você, é que eu não achei nada “inusitado” sobre você nas minhas “escavações” por relíquias e pérolas do GoW. Ou pelo menos não sei aonde tal rara “pérola” foi parar…(essa memória que me falha)

  29. ThIaGGo
    15/10/2009

    o problema disso tudo é ter um bando de imbecis… decidindo por mim se devo ou nao ter a OPÇÃO de comprar aquele produto.
    dêem a classificação, avisem que é para maiores e pronto. papis e mamis, nao comprem isso para seus filhotinhos.[5]

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.