Games polêmicos – Tirem as crianças da frente do computador!

Tags: bully, carmageddon, counter strike, fallout 3, game, GTA, manhunt, postal

GTA 4

Por Vivi Werneck

Antes de começar  – só para manter o protocolo – gostaria de informar que este post trata de games classificados para maiores de 18 anos, ou seja, crianças e adolescentes rebeldes que queiram continuar a ler, não irei me responsabilizar por futuros desvios psíquicos! Aviso dado, então vamos lá…

A censura dos tempos de ditadura acabou, mas em relação a games os órgãos controladores (leia-se: estraga festa), não só no Brasil como no mundo, estão marcando em cima dos novos lançamentos. Exemplo disso foi a proibição imposta pelo governo da Austrália à comercialização do grande candidato ao título de game do ano Fallout 3, naquele país.  As autoridades alegam que o jogo, desenvolvido pela Bethesda (a mesma de Oblivion), mostra cenas de uso de drogas em várias cenas da trama.

Fallout 3Em Fallout 3 (em breve farei um review mais completo do jogo), o jogador tem a opção de consumir várias drogas conhecidas no game como “chems” usando um aparelho conectado ao braço do personagem. Os químicos dão efeitos positivos ao personagem, como aumento de força e agilidade, ou efeitos negativos, como redução de inteligência e vício.

A Comissão de Classificação de Filmes e Literatura da Austrália afirmou que a lista de “chems” contém representações visuais de drogas que incluem seringas, pílulas, comprimidos e um cachimbo parecido com de crack.

A questão de censura e proibição de jogos não é nenhuma novidade. E sabe o que é mais interessante disso tudo? Games do tipo “politicamente incorretos” não páram de ser produzidos. A censura imposta pelas autoridades nada mais faz que ‘promover’ esses jogos. Exemplo disso é como o consagrado título Grand TheftCounter Strike Auto (GTA) se espalhou como praga pelo mundo, após várias e várias tentativas (frustradas) de proibição do mesmo. A Rockstar agradece até hoje o marketing gratuito! Outro que tomou carona de usar a censura contra ela mesma foi o game Counter Strike, muito famoso e com participação certa nos principais torneios de games pelo mundo.

Vasculhando a minha já comprometida memória, lembrei-me de alguns outros títulos que causaram muita polêmica no passado e outros, não tão velhinhos assim, mas que também causam um grande rebuliço. Vou listá-los abaixo. Mas antes gostaria de deixar uma pergunta no ar: proibir vai realmente impedir que menores, por exemplo, tenham acesso a jogos tidos como violentos? Como a família poderia lidar com esse assunto?

Vejam alguns “proibidões” logo abaixo…

Carmageddon:

CarmageddonAh… Que clássico! Amo esse jogo. Tenho todas as versões dele e nem foi tão difícil de achar. A história deste game (se é que existe) é simples. A série Carmageddon é um jogo essencialmente anárquico, você é posto em uma corrida (aparentemente normal), mas sem limites. O jogador pode optar por atropelar pedestres e animais ou destruir seus adversários (leia-se explodi-los), caso o rotineiro “completar a volta em menos tempo” não parecer muito divertido.

A cada corrida, o jogador tem um tempo para completar a prova. Esse tempo pode aumentar de acordo com a quantidade coletada de bônus como, checkpoints, danos aos competidores, pedestres atropelados (o bônus ‘carnage’ é o melhor! Hehehe…) ou objetos bônus.

Postal:

Desenvolvido pela produtora Running With Scissors, Postal é outro game ultra violento e com muitos conflitos de personalidade, uso de drogas, violência contra animais, sado-masoquismo, assassinatos usando as mais inusitadas ferramentas (uma pá, por exemplo), além de ser engraçadíssimo! Pelo seu autoPostal nível de carnificina gratuita, o jogo foi proibido na Austrália (pra variar) e na Nova Zelândia, além de ter recebido inúmeros processos, um deles do serviço de correio Norte Americano. Isso porque o nome do game faz alusão à expressão “going postal”, que passou a ser utilizada nos EUA para designar pessoas que ficavam loucas de stress.

Tudo começou em 1986, em Oklahoma, quando um funcionário do correio atirou em 14 companheiros, em seu chefe e depois se matou. Um repórter local usou a expressão “going postal” para descrever o episódio e, desde então, ela passou a ser utilizada em casos semelhantes. Essa é a origem do nome “Postal” que teve sua terceira versão (pasmem!) lançada na última feira de games E3 (não estava proibido?), a mais famosa do calendário internacional, realizada em julho deste ano, na cidade de Los Angeles, Califórnia, EUA.

Manhunt:

Confesso que, por um tempo, evitei jogar o game porque fui influenciada pelo terror psicológico que minha amiga fez comigo, dizendo que não conseguia jogar o título de tanto medo. Pois é, nunca mais acredito em amigos dando palpite em jogos! Talvez eu seja “psycho” e ainda não me dei conta disso, mas não achei nada de mais matar um personagem FICTÍCIO (deixando bem claro!) por estrangulamento com arame farpado, sufocado com saco plástico, espetado com caco de vidro, a golpes de machado, taco de baseball e outras coisinhas cotidianas (ainda não sei se empalamento é possível, mas vou tentar!).

ManhuntExplicando o game de uma forma geral: Manhunt é um jogo de ação em terceira pessoa com elementos de terror e suspense com ênfase em assassinatos sorrateiros, porém extremamente violentos. Você está na pele do Dr. Daniel Lamb, um cientista que é seqüestrado por saber demais sobre uma organização que faz experimentos bizarros. Entretanto, o protagonista recebe a ajuda de Leo Kasper, um fugitivo que o ensina a usar a violência extrema para sobreviver. Manhunt é um jogo de violência explícita no qual podemos matar os inimigos de maneiras mais extremas possíveis.

Bully:

Este jogo pertence a mesma produtora de Grand Theft Auto, a Rockstar, e é bem bonitinnho (Hehehe). Bully tem em suas mãos uma polêmica missão de levar o jogador de volta (aos que já passaram por essa parte de suas vidas) aos dias de colegial, na pele do adolescente James “Jimmy” Hopkins, um garoto rebelde ao extremo, que é deixado em um colégio interno para que sua mãe e seu quinto marido possam ter uma lua-de-mel prolongada. Desde então, Jimmy vê sua vida virar um inferno já que a Academia Bullworth não é nenhum paraíso.

O jogador entrará num mundo de intrigas, fofocas, lutas e entraves que todo colégio tem. Você não temBully propriamente um objetivo linear, podendo fazer o que quiser, na hora que quiser e quando bem entender. Claro que para o jogo ficar mais divertido, abrir novas áreas, o protagonista aprender novos golpes de luta, ganhar mais respeito, o jogador terá que avançar nos eventos principais do jogo. Nada que não faça o jogador avançar naturalmente, já que a história é muito divertida.

No game você pode tanto agir como um “Bully” (Valentão), atormentando os Nerds, quanto o contrário: ser uma espécie de “justiceiro” – protegendo os mais fracos, batendo e humilhando apenas os outros Bullies. Pode ainda ser mais reservado com uma filosofia de “não me chateou, não apanha” ou ser um garoto super problemático, fugindo quando um monitor percebe seus atos e batendo em quem aparecer na sua frente (incluindo monitores e alguns outros adultos – sendo essa tarefa quase impossível, já que para um adulto basta apenas conseguir pôr as mãos num garoto para pô-lo no chão). Sinceramente, não vejo nada demais nesse game para ser proibido, provavelmente seja por incitar a violência escolar (que novidade!).

Vivi Werneck
Share on Tumblr
Feed do Post
27 Comentários em "Games polêmicos – Tirem as crianças da frente do computador!"
  1. 27/11/2008

    Bully violento qualquer GTA bate Bully.

  2. 27/11/2008

    Beijar “aquela” garotona de “óclinhos” no Bully é um terror

  3. PH!
    27/11/2008

    Não sei pq ainda insistem em censurar esses jogos…
    Sou um cara bem sangue de barata. Mas enfrentar a loucura do dia-a-dia deixa qualquer um estressado. Mas quando chego em casa, ligo meu PC e atiro em zumbis, atropelo velhinhas, premedito assassinatos à sangue frio, queimo coelhinhos, dou um chute no cachorro, arranco cabeças logo após um “fínix rim”, me sinto a pessoa mais calma do mundo. Se um dia tive tendências assassinas, essas foram todas sanadas pelos games. As autoridades deviam agradecer.

    Mas nenhum jogo eh mais violento que Bomberman (sou fã sim! Qual o problema?) :P

  4. 27/11/2008

    É mesmo cara um game de muito sangue sempre me acalma eu sempre gostei nao sei porque de jogar Call of Duty para relaxar sei la pq eu fico relaxado ao matar alguns naziztas, terroristas e japoneses.

  5. 27/11/2008

    Sinceramente essas probições são ridículas.

    Até parece que, aqui no Brasil, quem jogava CS parou de jogar depois da efetivação da tal lei.
    Ah é pararam.
    Aham.
    Sei.

    Bem, se um jogo mostar o uso de drogas, tem violência gratuita, ou usa de elementos “politicamente incorretos” [mas que aparecem na TV todo dia em programas de entretenimento], não é função do orgão de censura por faixa etária [ERSB, se eu não me engano] orientar e avisar as pessoas disso? Se as pessoas não seguem, é escolha delas, enquanto elas não estão matando pessoas por aí ninguém devia impedi-las de se divertirem.

    E quantos casos de mortes incitadas por videogames vocês conhecem que não são só boataria ou bode expiatório?

    Fica minha opnião.

    E eu adoro Carmageddon!!!!! 8D

  6. Nicola
    27/11/2008

    Acho besteira proibir, hoje em dia ocm a internet essa proibição apenas incentiva a pirataria já q se o cara quiser jogar e não puder comprar basta baixar, acho q com a restrição d idade q ve mna capa do jogo passa a ser problema dos pais se os filhos menor d idade estiverem consumindo produto impróprio. Pô q saudades d Carmagedom, Manhunt tb é bem legal, já GTA, Bully, Fallout 3, Postal e, principalmente, Counter Srike são na minha opinião completamente dispensáveis.

  7. 27/11/2008

    ” Talvez eu seja “psycho” e ainda não me dei conta disso, mas não achei nada de mais matar um personagem FICTÍCIO (deixando bem claro!) por estrangulamento com arame farpado, sufocado com saco plástico, espetado com caco de vidro, a golpes de machado, taco de baseball e outras coisinhas cotidianas (ainda não sei se empalamento é possível, mas vou tentar!).”

    Psycho!!?? Não!!! Que Isso!!! Qualquer mulher faz coisas piores quando está de TPM.XD

    Ops! Acho que não deveria ter dito isso em um blog de mulheres…

    Mas, voltando ao assunto do post: Tem duas coisas que não consigo entender:

    1) Se os jogos sofrem classificação, porquê proibi-los? Até porquê é dever dos PAIS vigiar o que os filhos estão jogando, se o jogo é adequado a idade deles…

    2) Por quê não temos a mesma perseguição desenfreada aos filmes violentos?

  8. 27/11/2008

    Heheheheh já viram que os mais novos que mais gostam desse genero? Certo que tem gente de mais idade que goste (eu, por exemplo) mas não canso de ver meninos de 12, 11 anos falando “bora jogar GTA, queimar o povo” etc,etc. É complicado esse negócio de censura mesmo. Creio que ela só tá lá por estar mesmo. Que ainda tem o poder de jogar ou não somos nós. Ainda bem.
    Comentário nada a ver: Vocês sabiam que o diretor Uwe Boll, dono das péssimas adaptações de jogos, como House of the dead, Bloodraine,, entre outros, fez o filme de Postal?

  9. Khronny
    27/11/2008

    Ah por favor, proibir isso é hipocrisia! Pra mim se todo mundo jogasse jogos desse gênero não precisavam descontar a frustração na vida real! Agora, culpa jogos pelos problemas psicológicos de uma meia dúzia de loucos (no sentido estrito da palavra) também parece burrice ¬¬
    Eu lembro que jogava counter-strike numa lan house perto da minha casa, e nunca pensei em ser um terrorista por causa disso eauhaeuhaeuaehuaehaeuae
    Eu jogava GTA aqui em casa e nunca pensei em assaltar um carro ou matar uma pessoa na rua (bem na verdade eu já pensei em matar uma pessoa, mais não de verdade né eauhaeu todo mundo um dia tem vontade de matar alguém)
    E eu não gostei de manhunt, a idéia parece boa e talz, mais a jogabilidade é péssima =\

  10. 27/11/2008

    @Adney Luis

    Realmente foi uma piadinha infeliz de se fazer em blog feminino, mas vou deixar vc vivo dessa vez! uahuahauahuaha…

    @Nicola

    Concordo com vc em relação ao Carmageddon. Excelente! Agora GTA me rendeu muitas horas de diversão e boas risadas. Em relação a Fallout 3, espero ansiosamente o game chegar aqui em casa! Postal é legal, engraçado, mas é do tipo besteirol, não é para se esperar muita coisa mesmo… Counter Strike só joguei uma vez, nada contra, o negócio é que não sou muito fã de shooter mesmo.

    @Khronny

    Também não gostei de Manhunt. Achei um saco p ser mais sincera. Violência por violência jogo alguma coisa com mais conteúdo.

    OBS: Aí vcs podem me perguntar: Cara (ou ‘meu’ dependendo do estado), se vc não gosta de metade dos jogos q estão no SEU post, pq escreveu? Simples: Porque nos posts procuro escrever sobre um pouco de tudo ao meu alcance, até pq não necessariamente o que eu gosto pode agradar a outra pessoa, por exemplo. Tenho q pensar no coletivo. Até demonstro um pouco da minha opinião, mas deixo para a expor melhor nos comentários!

    *bjs a todos!!!*

  11. 28/11/2008

    Muito bem Vivi! Alguém tem que trabalhar nesse Blog! :-*

  12. Eduardo Peixinho
    28/11/2008

    Parabéns Vivi pelo excelente Post, você está arrasando mesmo!!!!

  13. geraldofigueras
    28/11/2008

    Violência virtual é uma das melhores terapias que existe. Eu dou graças a Resident Evil 4 por ter passado alguns tormentos de relacionamento no passado. Chegava em casa cheio de minhoca na cabeça, e fuzilava uns ganados doentilmente. Era foda hheeh

  14. Cruor
    28/11/2008

    momento cultura inutil que ninguem tem interesse on/

    Carmagedon foi inspirado no roteiro de Death Race 2000 aka Corrida da morte (o antigo nao essa budega de preso que saiu a pouco tempo) a historia é quase a mesma critica a banalizacao da violencia, que no futuro pra entreter as pessoas foi criada uma corrida que conta pontos as mortes e atropelamentos

    o plot do manhunt ai do texto é do segundo jogo, o primeiro é sobre um preso que acaba em um filme Snuff (aqueles que todo mundo ja ouviu falar mas o proprio FBI nunca confirmou um caso real, sobre assassinatos/estupros e mutilacoes gravados para entreter) como nao joguei o 2 nao sei dizer se tem diferenca mas no um o ponto forte era os angulos de camera que dava a impressao de ser um filme e o personagem pigsy (o gordao com cabeca de porco)

    momento cultura inutil off

    Na minha opniao todos esses jogos sao criticas a comportamentos sociais incluindo o proprio postal que mostra de uma forma banal e com humor negro a violencia, o Bully que se for ver bem tu acaba sendo amiguinho de quase todo mundo.
    Porem sempre foi e sempre vai ser mais facil criticar uma forma de midia por insentivar a violencia ao invez dos reais problemas. É quase igual aquelas maes de adolecente criminoso que ao invez de reconhecer que errou ou que o filho nao presta prefere jogar a culpa nas ”más companias”

    há sim e minha opniao se estende para livros/filmes e tudo mais… E sou afavor que tenha leis e proibicoes para menores de idade (claro que o bom senso deve partir dos pais, se o cara julga que o filho pode ele se torna responsavel)

  15. 28/11/2008

    eu joguei bully e me perguntava de ONDE que tinha algo demais ali
    aliás, eu faço é dizer que diante do colégio Bullsworth, o 7 de Setembro, Ari de Sá, Farias Brito, enfim, um MONTE de colégios, de qualquer lugar do mundo, já têm aquela violência que os valentões causam, sempre houve, sempre vai haver.

    e parece que ainda não entenderam: se você proíbe, aí que as pessoas vão atrás, heuaehauhaeuha.
    Me lembra do que fizeram com Código Da Vince: o livro é muuuuuuuito no estilo “massa véi”, mas não tem nada demais. PORÉM a Igreja tinha que encher o saco. Daí, vocês sabem o resto da história.

    Bah, whatever, vamos curtir as meninas do calendário Nerdcore 2009 que ganhamos mais:
    http://www.gametrailers.com/player/43206.html

    *foge das meninas*

  16. 28/11/2008

    e quanto a GTA
    eu realmente tenho vontade de sair por aí com um lança-chamas às vezes.
    q foi? pq tão me olhando assim?

  17. Cruor
    28/11/2008

    bora faze um calendario ”girls of wars” \o/

  18. 28/11/2008

    com direito a todas vestidas de lingerie natalina no mês de dezembro \o/
    *apanha*

  19. 28/11/2008

    @ Cruor

    valeu o ‘toque’ (uuiii) do Manhunt… Pra ver como eu amo esse jogo! hehehe…

    @ Cruor e @ Thyago

    Vamos cobrar cachê héim! hauhauahauhaua……….

  20. duras
    28/11/2008

    Cencura é uma vergonha.

    Quem decide o que meu filho joga sou eu e não o governo.

  21. Renato Metal
    28/11/2008

    Sobre dois dos jogos citados:

    Manhunt: Esse foi o único jogo que eu realmente me surpreendi, as mortes são extremamente brutais, algo que eu nunca achei que ia ver em um jogo (as mortes do Manhunt 2, mesmo na versão não-censurada não chega nem perto das mortes do primeiro, exceto a da pá que é muto legal).

    Bully: Apesar da Rockstar ser a Rockstar, parece que ela ficou um pouco com medo de ousar. Se você bater em qualquer garoto no jogo e não tiver nenhum guarda por perto, não dá nada. Agora se bater em qualquer menina ou criança, o jogo inventa uns dois guardas do nada só pra te prender e que é mais dificil de escapar.

    Notem também que quase todos os jogos são da Rockstar, e ainda faltou The Warriors que não sei como não deram nó com o fato de ter que comprar e usar droga no jogo pra recuperar vida.

  22. Cruor
    30/11/2008

    ha mas convenhamos gamers é igual jogador de rpg, quando sai materia falando q maninho saiu matando pq jogou é tudo o mesmo discurso de ”nao influencia em nada jogo e nao matei ninguem” dai sai materia ”videogames ajudando doentes” ou ”rpg nas escolas como forma didatica” é aqueles discursos de como o jogo é benefico e influencia de uma forma positiva, nao da pra ficar com discurso que nao influencia o lado ruim mas quando sai uma materia favoravel aos games ficar dizendo que é tudo maravilhas

    Ou agente combina que nao influencia em nada ou que pode influenciar mas nao de uma forma tao grave/grande

    e mais uma vez nao so para games mas tambem pra filmes/rpgs e outras midias

    ps. Nao foi um post dedicado a ninguem, é que achei legal o final do post da Rebeca sobre Deus que é uma questao legal influencia tambem de forma negativa tanto quanto positiva ou nao influencia nada e os atos bons/maus é por causa dos disturbios/motivacoes de cada um?

  23. Lucílio
    04/12/2008

    Carla Rodrigues!!!

    A tua prima Amanda daqui do Rio me apresentou o seu blog. Parabéns!!!

    Já está nos meus favoritos!!!

    Beijo grande!!!

    Lucílio Rotha

  24. jackson
    09/01/2009

    eu sou um gamer que ja JOGUEI TODOS ESSES JOGOS SO CONCORDO COM A DO Manhunt E UM JOGO BRUTAL MATAR COM TUDO Q VER PELA FRENTE e de varias formas isso chega a ser pertubante mais os outros games ñ tem nada de mais

  25. 15/04/2009

    poxa que blog bacana show de bola.. vou add ele aos favoritos.
    e sobre jogos polemicos sei lá.. creio que a educação vem de casa e nao das ruas se o cara joga GTA.. Bully e etc.. é para descontrair divertir nao que isto NAO afete no dia a dia más quem tem uma cabeça centrada e pé no chao ou melhor.. uma VIDA SOCIAL.. não irá sobrar tempo para sair com uma Uzzi entrar no cinema e matar todo mundo que nem o caso do duken nuke kakakaka… meu pai sempre teve arma e eu desde pivete sabia onde estava… e ai.. ja matei alguem NAO.. por isto que eu digo o respeito vem de casa.. hoje tenho 24 anos e minha opiniao vai ser a mesma.. podem até proibir estes jogos.. más temos uma coisa que chamamos de.. PIRATARIA kakakaka… Rockstar é phoda. deve pagar milhoes de imposto para publicar estes games.. más é isto ai..
    muito obrigado pela atenção e até o proximo post.
    Fábio.

  26. cory
    06/06/2009

    sinceramente tenho 12 anos os meus jogos vareiam de 16, a 18
    anos tenho,gta 4,crysis,rainbow six,area 51,doom 3,gta 3 e vo compra o gears of war e o fallout 3 nao e verdade que a maioria
    desses jogo que eu citei sao de 18 a 16 anos se nao forem com esse tipo de censura os jogos nao tem graça me diga um jogo da minha idade deve ser os simpson ou ate sim city e ou nao e verdade me respondam.

  27. Lennon
    24/12/2010

    Que isso. depois de um dia canssativo,e cheio de extrese posso finalmente ligar meu PC,e sair descontando minha raiva nas pessoas do GTA xD, isso me acalma! Lol

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.