FarCry 4: vem pra farra em Kyrat

Tags: action games, análise, FarCry, FarCry 3, FarCry 4, jogos ação, must buy, Ubisoft

farcry4-topo-girlsofwar

Recentemente se criou uma espécie de “rage war” enlouquecida contra os bugs de Assassin`s Creed Unity (e não foram poucos), mas sinceramente acho que condenar todos os jogos da Ubisoft por conta de uma cagada é meio exagerado. Antes que perguntem, não estou ganhando dinheiro de ninguém para tentar defender a empresa, mas sejamos justos: AC Unity bateu recorde de bugs? Sim. Mas jogar tudo pra vala é coisa de quem não tem senso crítico algum e prefere ser ovelhinha de presépio e seguir os outros.

rinoceronte-farcry4-girlsofwarE por que também levantei esse “rage war” pessoal? Por que apesar das cagadas, a Ubisoft acertou um headshot em FarCry 4. Na verdade, ela já tinha dado um belo e maravilhoso tiro no fígado com FarCry 3: Blood Dragon. Este foi um dos melhores DLCs (mesmo não sendo propriamente um DLC) que já joguei na vida! Aí veio FarCry 4 e fiquei na dúvida sobre o que o jogo traria de novo em matéria de gameplay (já que a história, ou algo doido do tipo, eles mudariam mesmo). E sabem qual é a grande inovação no gameplay deste quarto game da franquia???? Isso mesmo, pequenino herculóide… NADA! E mesmo assim o jogo é fantástico! Como pode meu José?

Então, acho que mais ou menos descobri. Ah, mas antes de tudo, eu não vou ficar aqui falando sobre do que se trata a história e tal. Isso vocês podem ler em qualquer wiki por aí. A minha intenção nesse texto é tentar te mostrar porque você deve jogar FarCry 4, mesmo ele não inovando quase nada em relação ao antecessor. Vamos lá.

1) Os controles são os mesmos de FarCry 3: se você jogou o game anterior, não vai sentir dificuldade alguma em se adaptar a FC4. É tudo o mesmo, desde correr a selecionar os itens e atacar. O pessoal que nunca jogou nenhum game da série também não terá problemas de adaptação – já que ele mais ou menos segue um padrão parecido da maioria dos jogos de tiro.

tigre-farcry4-girlsofwar

2) História à base de LSD (como sempre): uma das marcas registradas da série FarCry é o enredo de cada jogo. O apocalipse sempre acontece em algum lugar perdido no nada, onde ninguém naturalmente vai te procurar, há sempre alguma religião fictícia maluca envolvida e que – em algum momento – vai te “forçar” a fumar ou beber alguma coisa louca e que vai te dar um sonhos mais doidos ainda (esses sonhos geralmente tentam te matar). Ah, e você sempre é um infeliz e azarado que estava na hora errada e no lugar errado e acaba tendo que ajudar alguma rebelião local… Porque sim. Pronto. É isso a história de FarCry 3, 4 e provavelmente 5, 6, 7…

3) A vida selvagem te odeia e vai te matar (várias vezes): por mais que este possa parecer um ponto negativo, é exatamente o contrário. FarCry 4 criou uma fauna (e flora também) tão espetacular que é difícil simplesmente seguir só um caminho até seu objetivo. Você quer explorar a vastidão dos belos cenários de Kyrat (país fictício do jogo), mas esta não será uma viagem nada segura. Por mais que existam animais inocentes e que dá uma dor no coração ter que matá-los para fazer bolsas (cadê o Greenpeace?), tem uma galera animal do mal que estará sempre à espreita e, na maioria das vezes, você só percebe que eles estão perto quando já se está muito fud… Digo, ferrado. Quer um exemplo? O texugo (honey bagder, em inglês). Uma bolinha de pêlos que até parece fofinho e se assemelha a um gambá mas, na verdade, é o bichinho de estimação do Capiroto. Espero que tenha muitas seringas de cura e bala quando encontrar um. Se for uma horda deles… Bom, que Odin tenha piedade da sua alma (porque sua carcaça já será deles!)

No entanto, nem todos os animais de Kyrat querem rasgar suas entranhas e se banhar em seu sangue. Dessa vez, você terá um grande aliado (literalmente): os elefantes. Sim! Você agora pode montar estes discretos animais e usá-los como tanques de guerra com trombas. Essa é, na minha opinião, uma das coisas mais legais (senão a mais legal) que colocaram no jogo. Você sente sua alma banhada nos rios do Éden de tanta alegria ao jogar carros inimigos para o ar, pisotear as pessoas ou fazer com que seu amigo fedido agarre algum adversário com a tromba e o atire para o limbo da morte. Aaaaaahhhh… Como é bom! Adoro meu elefantinho. <3

4) Muitas, muuuitas missões secundárias: nem dá para ficar listando tudo aqui, mas posso te garantir que é difícil simplesmente ir do “ponto x” ao “ponto y” sem ter que fazer uma paradinha para não morrer na base do tiro por ter passado por um comboio inimigo, ajudar seus amiguinhos rebeldes que estão sendo atacados e garantir uns pontinhos de karma, derrapar num barranco e dar de cara numa árvore (e ser atacado por um tigre em seguida)… Enfim, muita coisa pode acontecer só em ir no quintal tomar um arzinho. Ah, as missões padrão da série estão de volta, ou seja, você vai ter que dedicar um tempinho para liberar torres de transmissão (que ajudam a abrir o mapa) e conquistar fortes (que liberam, dentre outras coisas, missões e “fast travels”). A novidade agora é que alguns desses fortes requerem a ajuda coop de algum outro jogador.

elefantes-farcry4-girlsofwarComo ainda não tive a oportunidade de testar o modo coop, que agora coloca um amiguinho serelepe no seu jogo, vou pular essa parte por enquanto. Estou na fase final de convencimento de alguns candanguinhos que conheço para comprar o game e jogar comigo. Depois falo mais sobre ele.

Dito tudo isso, e provavelmente vou lembrar de mais coisas depois de ter publicado esse texto, e ainda retomando o que eu disse no início do post, acho injustiça jogar na fogueira todos os jogos de uma empresa em detrimento de uma ou algumas cagadas. Ninguém gosta de jogo bugado, fato. Mas os bugs vão continuar a existir – basta apenas as empresas terem um pouco mais de carinho antes de lançar um título e lapidá-lo melhor durante a produção. Mas vamos ser justos: goste você ou não de jogos de ação, FarCry4 (disponível para PC Windows, PS3, PS4, Xbox 360 e Xbox One) está longe de ser uma decepção – mesmo repetindo a fórmula do anterior. Não me arrependo de nenhuma hora investida nele e recomendo muito o game para os que curtem disseminar o caos, dar tiros, montar elefantes, nadar com peixes demônios e desafiar texugos das trevas.

E, para finalizar, gostaria de parafrasear o slogan da Caixa Econômica com:

“Vem pra Kyrat você também. Vem!” (leia pensando na musiquinha)

Vivi Werneck
Share on Tumblr
Feed do Post
4 Comentários em "FarCry 4: vem pra farra em Kyrat"
  1. Robson
    04/01/2015

    Estava aguardando a do Dragon Age: Inquisition.
    Mesmo assim gostei da coluna-análise.

    • Vivi Werneck
      04/01/2015

      Oi Robson. Já escrevi sobre Dragon Age Inquisition sim num post anterior. Dá só uma olhada na home do blog. Bjos :)

  2. Claudio
    08/01/2015

    O jogo é muito bonito no PS4. Copas das arvores balançando com o vento do buzzer, rapel nas montanhas, fases no himalaya… A imersão desses ultimos FC3 e FC4 são pra se glorificar de pé, como dizem. Só poderia ser menos repetitivo para conquistar fortalezas e postos, mas acho que em jogos de mundo aberto isso é inevitavel

  3. Atila
    02/02/2015

    um belo tiro no figado foi ótimo kkkkkkkkkkk

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.