A revolução do rock nos games?

À pedidos, os comentários serão abertos agora. E quem disse que as pessoas não mudam hein? Fico muito feliz de saber que o blog está tendo uma aceitação legal, espero que continue.

E o que é aquilo alí? É o Guitar Hero? É o Rock Band? Não. É o Rock Revolution, aposta da Konami para entrar no meio dos jogos musicais. Foram confirmadas 40 músicas, e o jogo será para Xbox 360, PlayStation 3, Wii e Nintendo DS. Por enquanto sabemos que Blitzkrieg Bop (Ramones), Detroit Rock City (Kiss), We’re Not Gonna Take It (Twisted Sisters) e All The Small Things (Blink 182) farão parte do sitlist do jogo.

Pois é, pareceu um tanto quanto tosquinho comparado com Rock Band e Guitar Hero né? Deu pra reparar que a esteira das notas é completamente vertical, no estilo Guitar Freaks, e se prepare para ver a bateria:

 

 

Contou comigo? 1, 2, 3, 4, 5, 6 pads e mais um pedal. Muita coisa pra você? Os 4 pads de Rock Band já te confundem o suficiente? Tudo bem, a Konami vai disponibilizar no jogo a opção de remover o pedal e de praticar freestyle notes durante a música, segundo o site Multiplayer da MTV.

E agora o Guitar Hero ficou mesmo para trás? Rock Band com a sua bateria, esse tal Rock Revolution querendo aparecer, e onde está o Guitar Hero?

Senhoras e senhores, a bateria do Guitar Hero IV é a mais bonita, não tem pra ninguém. Além dela também ter 6 pads e um pedal, no novo gametrailer do jogo aparece um bumbo genial com a marca da série. Não sei como vou fazer pra arrumar mais espaço, mas a minha bateria do Rock Band vai ter que se espremer no canto da sala pra dividir a atenção com a bateria do Rock Band.

Guitar Hero IV também disponibilizará microfones para quem quiser arriscar uma cantoria e um modo de criações de músicas pelo próprio jogador que poderão ser baxadas na rede online por outros jogadores (no máximo 5 músicas por jogador, a princípio). Ou seja, se você fizer uma música muito legal, ela poderá ficar famosa no mundo online, isso sim é ser Rock Star hein.

Ainda temos o Guitar Hero On Tour que virá para o DS, provando que eles realmente não querem ficar para trás.

Eu acho o máximo, por mim quanto mais jogos nesse gênero melhor. Não me enjoou nunca, posso tocar mil vezes as mesmas músicas e sempre fico feliz, e meus amigos podem confirmar que as reuniões mais divertidas são aquelas que envolvem uma partida de Guitar Hero ou Rock Band.

OBS: Estarei ausente no feriado, em Guaratinguetá tentando trazer a medalha de ouro para o time de handball da Cásper Líbero. (E quem disse que nerds que jogam videogame não sabem jogar esportes hein?). Um bom feriado pra todo mundo, e torçam por mim.

Carla Rodrigues
Share on Tumblr
Feed do Post
5 Comentários em "A revolução do rock nos games?"
  1. 23/05/2008

    Como diria o Mario: Ia-húúúúúúúúinha!!! Vamos comentar no blog da Carlinha!!!

    Boa sorte Carlinha, que a triforça esteja com você!

    PSone: Como sou o primeiro a comentar, vou ganhar algum prêmio???
    PS2: E claro, obrigado por abrir os comentários!
    PS3: Sem comentários… xD

  2. 23/05/2008

    Li em algum lugar e concordo que se alguma empresa tinha o direito de lançar uma cópia picareta de Guitar Hero essa é a Konami, por conta do Guitar Freaks. Só espero que tenha mais músicas inéditas – boa parte das confirmadas até agora já teve em GH ou Rock Band.

    Aproveitando o ensejo, deixo aqui o link para uma excelente entrevista com o game designer do primeiro Guitar Hero que, entre outras coisas bacanudas, diz que a idéia do jogo nasceu de um pedido da Red Octane por um jogo que fosse igual Guitar Freaks!
    Hehe

    Parece que o mundo realmente dá voltas.

    http://www.gamasutra.com/view/feature/2801/book_excerpt_inside_game_design_.php?page=1

  3. 27/05/2008

    É Prandoni, o mundo dá voltas, especialmente o mundo gamer, onde muitas das novidades nem são tão novas assim! Na maioria das vezes não reiventam a roda, mas pelo menos trocam as calotas.

    E pô, demorou para lançaram um GH, RB, RR ou o que seja com músicas só de games. O Alexei ia pirar né?

  4. 28/05/2008

    Nossa, Mauri!

    O Alexei piraria fácil num game musical que tivesse apenas Game Music. Fico imaginando se fizesse um título assim só que dançante e para a Wii Balance Board…

  5. Régis Batista Perez
    28/05/2008

    É, desde a Idade Média, nada se cria, tudo se copia.

    E,CArlinha,PARABÉNS pelo blog.

    E sucesso!!!

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.